quarta-feira, 7 de junho de 2017

CART recebe menção honrosa no 23°prêmio mérito ambiental da FIESP

Cidade
 PROJETO 'SEGUINDO EM FRENTE' 
CART recebe menção honrosa no 23°prêmio mérito
ambiental da FIESP pelo Projeto Seguindo em Frente
Alunos aprenderam a técnica da hidroponia
durante o curso do projeto Seguindo em Frente
(Foto: A.I CART)
Na última terça-feira, 6 de junho, aconteceu o evento de premiação da 23° edição do Prêmio FIESP Mérito Ambiental. Na ocasião, entre os 52 projetos inscritos, o Projeto “Seguindo em Frente” realizado pela CART – Concessionária Auto Raposo Tavares e Instituto Invepar, recebeu menção honrosa na categoria “Destaque Responsabilidade Socioambiental” pelo critério alinhamento ao negócio.

O Prêmio FIESP de Mérito Ambiental homenageia iniciativas sustentáveis de empresas que se destacaram e trouxeram resultados significativos. A premiação reconhece as iniciativas das empresas que transformam vidas e promovem o desenvolvimento social dentro de seus ambientes de atuação. 

A iniciativa “Seguindo em Frente” é um projeto desenvolvido com apoio do Instituto Invepar e parceiros como FATEC Ourinhos, Baobá Práticas Sustentáveis, ONG Ato Cidadão e Prefeituras Municipais dos municípios que foi desenvolvido. A proposta tem estimulado a geração de renda e empreendedorismo de moradores dos municípios de Espírito Santo do Turvo, Santo Anastácio e Ibirarema, localizados no centro-oeste Paulista, por meio da cultura da hidroponia. O projeto é uma das iniciativas aprovadas no Edital de Seleção de Projetos Socioambientais do Instituto Invepar e já beneficiou diretamente 123 pessoas.

Proposto após o impacto social e econômico negativo causado pelo fechamento de Usinas canavieiras na região, o projeto “Seguindo em Frente” tem o objetivo de melhorar a empregabilidade, inclusão econômica, social e geração de renda de seus participantes. No curso os alunos aprenderam a cultivar hortaliças por meio da técnica da hidroponia, dentro de canos, em um sistema de água corrente, adicionada de nutrientes essenciais para as plantas.

Com o método não é necessário o uso do solo, assim, as verduras podem ser plantadas durante todo o ano, ficam mais limpas, resistentes e saudáveis. A técnica aprendida teve impacto positivo na vida dos alunos, permitindo um aumento na renda, inclusão social e a disseminação de práticas sustentáveis entre as cidades participantes.
(A.I CART)

Nenhum comentário: