sexta-feira, 7 de julho de 2017

Lula depõe como testemunha de Gleisi Hoffmann na Lava Jato

Brasil
 30 MINUTOS 
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva depôs nesta sexta-feira (7) durante cerca de 30 minutos no fórum criminal da Justiça Federal em São Paulo no processo em que é testemunha de defesa da senadora e ex-ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e do ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo. O processo tramita no STF (Supremo Tribunal Federal).

Além de Lula, primeiro a depor ao juiz Ricardo Rashid, designado pelo relator da operação Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, será ouvido também o ex-assessor da Casa Civil Ivo de Motta Azevedo Correa. O ex-secretário da Casa Civil Beto Ferreira Martins Vasconcelos foi dispensado como testemunha pela defesa.

A ação penal em que Lula foi ouvido tem como denunciados Gleisi e Bernardo, marido da senadora, no âmbito da operação Lava Jato, e também o empresário Ernesto Krugler, amigo do casal. Segundo a ação, a senadora teria recebido ilicitamente R$ 1 milhão de recursos para sua campanha ao Senado, em 2010. O dinheiro teria origem em irregularidades de contratos da Petrobras. Eles negam as acusações. 

Os advogados das testemunhas e dos acusados, bem como de Lula e Correa, deixaram o fórum sem falar com a imprensa. Também o teor dos depoimentos não foi, até o momento, disponibilizado pela Justiça. Depoimento de Lula hoje reforçou que os diretores da Petrobras foram eleitos por unanimidade pelo Conselho de Administração da companhia.

O advogado de ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, no entanto, se manifestou horas depois pelo Twitter sobre o depoimento de Lula à Justiça Federal em São Paulo, afirmando que o ex-presidente falou sobre a escolha dos diretores do Conselho Administrativo da Petrobras.

O depoimento de Lula acontece na mesma semana em que Gleisi tomou posse como nova presidente nacional do PT. Em discurso na última quarta-feira, 5, em Brasília, Lula disse que Gleisi será "uma grata e extraordinária surpresa para o nosso partido" e prometeu apoiar a senadora no exercício da presidência do PT.
(Uol)

Nenhum comentário: