sexta-feira, 21 de julho de 2017

Polícia Civil de Adamantina prende quatro pessoas por fraudar multas de trânsito

Região
 BUSCAS NA CIRETRAN 
Umas das pessoas presas na manhã de hoje,
durante operação realizada pela Polícia Civil
(Foto: Siga Mais)
Uma operação da Polícia Civil autorizada pelo Poder Judiciário, realizada na manhã desta sexta-feira (21) culminou com a prisão de quatro pessoas e a realização de buscas na Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) de Adamantina, que integra a estrutura do Detran.SP.

Um funcionário público e um funcionário terceirizado que trabalham na Ciretran de Adamantina e outras duas pessoas externas– autônomos – foram presas temporariamente na manhã de hoje e começaram a ser ouvidos pelos policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Adamantina.

Como era o esquema
Segundo o delegado que preside as investigações, Rodrigo Alabarse, as investigações foram iniciadas em julho do ano passado, a partir de suspeitas levantadas pela Polícia Militar. Ele relatou que a PM realizava operações de trânsito, de rotina, aplicava multas, mas haviam motoristas que não eram penalizados.

Essa percepção da PM se deu pela ocorrência de situações reincidentes, e pelo próprio acompanhamento de suas ações de fiscalização, que não revelavam punições aos motoristas flagrados e autuados por infrações de trânsito. Conforme relatado pelo delegado, as multas realizadas pela PM são enviadas à Ciretran, para o lançamento no sistema e posterior notificação do motorista infrator. Era nesse estágio que o crime acontecia.

Ao identificarem motoristas conhecidos, e diante de determinadas infrações informadas pela PM, os funcionários da Ciretran excluíam as mesmas do lançamento no sistema e iniciavam uma abordagem junto aos infratores, propondo a solução do problema e cobrando pelos serviços, sem que os motoristas tivessem pontuação lançada no sistema e fosse lavrada a cobrança da multa.

Além dos dois funcionários que atuavam dentro da Ciretran de Adamantina, outras duas pessoas externas realizavam a abordagem de motoristas infratores, totalizando quatro pessoas envolvidas no esquema ilegal. A audácia era tamanha que os motoristas infratores chegavam a ficar com a posse do documento de infração gerado no momento da fiscalização realizada pela Polícia Militar. Presos, os quatro envolvidos começaram a ser ouvidos pela Polícia Civil de Adamantina e em seguida serão transferidas para a cadeia local, podendo eventualmente serem transferidos ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Caiuá.

Ao final do inquérito e comprovada toda a dinâmica do crime e a participação dos quatro envolvidos que estão presos temporariamente, os mesmos poderão responder, inicialmente, por corrupção passiva e associação criminosa, porém novos desdobramentos poderão revelar mais implicações ao grupo.

Cerca de 160 multas foram fraudadas
O delegado Rodrigo Alabarse explicou que cerca de 160 infrações lavradas pela Polícia Militar e que deveriam ser lançadas no sistema foram descartadas no esquema ilegal operado pelo grupo, e os motoristas que se beneficiaram desse artifício também poderão ser penalizados.

Nesse campo, o delegado explica que será realizada uma profunda investigação, para identificar os motoristas que foram beneficiados com o esquema, comparando as multas emitidas pela PM com as efetivamente lançadas no sistema, no período. As situações que não tiveram prosseguimento legal serão alvo da investigação.

Comprovado o crime, os motoristas que se beneficiaram do esquema criminoso poderão responder por corrupção ativa.
(site Siga Mais)

Nenhum comentário: