segunda-feira, 24 de julho de 2017

Tecnologia quer impedir que motorista digite ao volante

Tecnologia
 CONSCIENTIZAÇÃO 
Anúncio falso de funerária diz para pessoas
digitarem mensagens e dirigirem no Canadá
Craig Federighi, vice-presidente da Apple, apresenta
função que impede uso do iPhone ao volante
A mensagem, em uma placa publicitária de beira de estrada, diz "Use SMS ao volante". O responsável pelo anúncio é a funerária Wathan Funeral Home, cujo elegante logotipo enfeita a porção inferior da placa. Mas a funerária não existe.

A brincadeira macabra foi obra de uma organização de Ontário, Canadá, que busca conscientizar a população sobre as mortes causadas por motoristas distraídos. "Estamos só tentando convencer os canadenses a não enviar mensagens de texto quando estão dirigindo", diz o site da funerária fictícia.

As mortes em acidentes rodoviários continuam crescendo e atingiram quase 1,5 milhão no mundo em 2016. A pressão sobre as montadoras e os fornecedores de tecnologia para que encontrem uma solução para as mortes causadas pela distração de motoristas que checam mensagens de texto quanto estão ao volante se intensifica. "A tecnologia nos colocou nessa situação, e creio, nos tirará dela", disse Debbie Hersman, presidente do Conselho Nacional de Segurança, organização sem fins lucrativos americana. "O maior problema não são os carros, mas os aparelhos que levamos conosco para os carros."

Os fabricantes desses aparelhos começam a tratar do problema. A próxima versão do sistema operacional do iPhone, o iOS 11, que chegará em setembro, oferecerá aos usuários um novo modo, "não perturbe enquanto dirijo", que impedirá que mensagens de texto e outras notificações surjam na tela. "A ideia é manter os olhos do motorista na estrada", disse Craig Federighi, que comanda a divisão de engenharia de software da Appleo.

O sistema inclui resposta automatizada a contatos que enviem mensagens para alguém que está dirigindo, informando que o destinatário não poderá responder até que "chegue ao seu destino". "Em lugar de o motorista ver todas aquelas notificações, teremos uma nova interface de usuário", disse Federighi, mostrando uma tela escura e sem vida, durante sua apresentação na conferência. "Acreditamos que esse virá a ser um passo realmente importante para a segurança nos carros".

Caso um motorista se esqueça de ativar o modo de segurança, o iPhone adivinhará que ele está em um veículo em movimento, via bluetooth ou sensores de movimento.

O motorista que ainda assim tentar usar o iPhone receberá notificação de que o modo motorista está ativo e que não receberá notificações até que pare o carro.
Os passageiros podem desativar o sistema por meio de um botão de "não estou dirigindo" -opção que os motoristas determinados a se manter desatentos também poderão usar para fazer o mesmo.

ALIVIAR A PRESSÃO
A iniciativa da Apple se segue ao lançamento pela Samsung, em abril, de um app para Android chamado "In-Traffic Reply" [resposta em trânsito], que usa o sensor de GPS para determinar quando um carro está em movimento e responde automaticamente a mensagens de texto com a informação "estou dirigindo e não posso responder no momento". O objetivo do app é aliviar "a pressão social de responder a telefonemas e mensagens rapidamente", segundo a Samsung.

Uma start-up que vem trabalhando no problema é a Cellepathy, que produz software para detectar se um celular está sendo usado pelo motorista ou pelo passageiro. "Não temos ilusões a respeito: ninguém instalará esse sistema em seu celular voluntariamente", diz Sean Ir, o fundador da Cellepathy. Ele diz que os usuários precisam ser forçados a adotar o sistema, para salvar vidas. "A venda de smartphones desprovidos dessa tecnologia deveria ser proibida, da mesma forma que a venda de carros sem airbags é proibida."

GAIOLA
Os próprios fabricantes de carros começam a lidar com o problema, ainda que nenhum tenha encontrado uma solução completa. A Nissan demonstrou uma versão experimental do sistema que pode vir a usar para enfrentar a questão. A companhia instalou uma gaiola de Faraday, dispositivo que bloqueia todos os sinais de telefonia e dados, no apoio de braço do assento do motorista em um Nissan Juke. Se o celular for colocado na gaiola e sua tampa for fechada, todas as mensagens serão bloqueadas. Uma porta USB dentro da gaiola permitirá que o celular seja conectado ao veículo para tocar música e recarregará o aparelho.

A Volvo, que prometeu que, a partir de 2020, ninguém morrerá ou sairá seriamente ferido de acidentes com seus carros, começou a introduzir sistemas de prevenção de acidentes que funcionariam mesmo que um motorista não esteja prestando atenção. Em lugar de bloquear os sinais telefônicos, a montadora está tentando integrar o celular ao sistema de entretenimento do carro e instalar controles de voz, para que o motorista "não precise tirar as mãos do volante", disse Jan Ivarsson, especialista em segurança da Volvo Cars.
Mensagens de texto ou outros recursos de comunicação que exijam olhar para uma tela não são parte do sistema, ele acrescenta.

A chave para os consumidores, que muitas vezes escolhem seus celulares pela facilidade de uso, é tornar o sistema do carro o mais simples possível, diz. "De outra forma, as pessoas pegarão seus celulares e farão algo estúpido."
(Folha de S. Paulo)

Nenhum comentário: